NEWSLETTER
Cadastre seu e-mail:

Divulgação - SescTV
 
MANCHETES

» 04/06/2019 - 20:24
SescTV exibe último episódio O Direito à Cidade da série "A Cidade no Brasil" nesta quarta

Antropólogos, arquitetos e urbanistas discutem o direito à cidade e as diferentes manifestações e apropriações dos espaços públicos, em O Direito à Cidade, décimo e último episódio da série a Cidade no Brasil. O programa aborda, ainda, o processo de reinvenção da cidade como um exercício de poder coletivo, que influencia os processos de urbanização. Com direção da cineasta Isa Grinspum Ferraz, a atração será exibida nesta quarta-feira (05/06), às 21h, no SescTV.

Inspirada no livro de mesmo nome, do antropólogo, poeta e ensaísta Antonio Risério, publicado em 2012, A Cidade no Brasil traz reflexões de pensadores contemporâneos sobre aspectos do fenômeno urbano no país. As produções também criam um panorama histórico sobre as cidades brasileiras, desde a sua concepção até a atualidade. No total são 10 episódios, sendo oito de aproximadamente 26 minutos e dois episódios especiais (o primeiro e o último) de 40 minutos cada. Todos estão disponíveis gratuitamente sob demanda, em alta definição, com legendas em português, inglês e espanhol, no site do SescTV, em sesctv.org.br.

Risério inicia o episódio O Direito à Cidade, citando um pensamento do sociólogo Robert Parker. “A cidade, de um modo geral, é a melhor tentativa do homem de refazer o mundo em que vive, segundo os desejos de seu coração”, afirma. Risério explica que, para Parker, ao mesmo tempo em que a cidade é um espaço que o homem criou, ela é o mundo no qual ele está condenado a viver. E que, portanto, indiretamente, ao fazer a cidade o homem refez a si mesmo. 

Durante o episódio, o arquiteto e urbanista Renato Cymbalista admite que seus primeiros anos de vida profissional eram muito mais direcionados à ideia de futuro. Mas, ele entende que os jovens, que caminham para uma atividade intelectual e profissional plena, pensam de maneira diferente. Eles analisam como transformar uma via expressa em espaço de lazer, fazer um churrasco no Minhocão ou na Avenida Paulista. O arquiteto explica que para as novas gerações, os lugares de lazer precisam funcionar bem como espaço público por um determinado momento, o que, segundo ele, traz desafios radicais para a arquitetura do urbanismo.

O poeta e produtor cultural Sérgio Vaz utiliza São Paulo como exemplo para falar de uma cidade que, segundo ele, é ao mesmo tempo triste, arrogante e necessária. Um lugar de segregação que sangra pela periferia, pelos cantos, córregos, becos e vielas. “É como se deixassem a gente andar fazendo concessão e não por apego à liberdade”, analisa Vaz. 

Para o produtor cultural Bruno Ramos, a falta de mobilidade urbana, especialmente pela dimensão econômica e geográfica da cidade, também é um dos problemas mais relevantes. “O direito à cidade e ao território precisa ser recíproco na sociedade. Tanto o jovem da periferia deve se deslocar para o centro, como as pessoas que moram nos centros urbanos devem visitar as periferias”, elucida Ramos.

Os arquitetos e urbanistas Ana Paula Fediczko, Marta Bogéa, Adriana Marmo, Alexandre Delijaico, Guilherme Wisnik e José Renato Bugo, e o educador Eduardo Cardoso, também compartilham, no episódio, suas experiências cotidianas nas cidades.

HOME         MANCHETES        BLOG FABIOTV       CONTATO        PUBLICIDADE

2007 - 2019  fabiotv.com.br - Todos os direitos reservados.